Diretora administrativa: Rosane Michels
Quarta-feira, 20 de Junho de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Santinho das Solteironas
Data:12/06/2018 - Hora:08h32

Pois é, amanhã as moçoilas, cachopas, donzelas, senhorinha, dulcinéias, patricinhas, lolitas, gatas, lobas e demais mulheres que, novas, maduras ou passadas, sentindo-se encalhadas, vão atrás do prejuízo, quando deveriam correr atrás do lucro, ainda mais com a crise, especialmente de homens com M maiúsculo na praça. É sempre assim em todos os anos nessa época junina, a corrida do anel mesmo que de compromisso, passando pelo fervor de Santo Antonio, que nasceu Fernando, (prenome) e Bulhões, (de nome), Antônio, um cognome católico usado como frade franciscano, nascido em 1195, em Portugal, vivendo a maior parte de sua vida em Pádua, na Itália. Sua fama de Santo Casamenteiro, nada tem a ver com sua doutrina, já que seus sermões nada tinham de específico sobre casamentos, mas suas ofertas solidárias às apaixonadas o tornaram o padroeiro dos futuros casais. Tanto assim, que condoído com as jovens que procuravam um marido, o santo ajudava-as com dinheiro para elas terem um dote e um enxoval para o casamento (naquele tempo as casadoiras precisavam de um dote ($) para se casar), coisa mais ridícula, não é mesmo? Bem, tocando no assunto, véspera do nosso santinho Fernando Antonio, me lembrei de dois casos que tanto a nona como a mama me contavam quando era adolescente e gostava de ser a noiva na festa caipira. Dizem que em Nápoles na Itália, havia uma moça pobre, coitada, cuja família não podia pagar seu dote para se casar e a tadinha desesperada, ajoelhou-se aos pés da imagem de Santo Antônio, pedindo com fé a ajuda do Santo que, milagrosamente, lhe entregou um bilhete e disse para procurar um determinado comerciante. O bilhete dizia que o comerciante desse à moça moedas de prata equivalentes ao peso do papel. Claro, que o homem não se importou, achando que o peso daquele bilhete era insignificante. Mas, para sua surpresa, foram necessários 400 escudos de prata para que a balança atingisse o equilíbrio. Nesse momento, o comerciante se lembrou que outrora havia prometido 400 escudos de prata ao Santo, e nunca havia cumprido a promessa. Santo Antônio usara a mocinha para fazer a cobrança daquele jeitinho maroto e assim, a jovem moça pôde, casar-se de acordo com o costume da época. Um dos causos que me contaram quando perguntei porque  Santo Antônio era o Santo Casamenteiro. A outra história mais curiosa e cômica, diz que uma moça muito bonita, que havia perdido as esperanças de arranjar um marido, apegou-se ao santinho de Pádua, depois de adquirir uma imagem do santo, que foi colocada em um pequeno oratório. Todos os dias, ela colhia flores e oferecia ao santo pedindo um marido, mas o tempo foi passando, semanas, meses, anos e nada do príncipe encantado, nem um fidalgo ou bobo da corte surgia no horizonte, que dirá um príncipe. A fulana encalhada ficou furiosa e prá se vingar do santo, arremessou a imagem pela janela do quarto, no exato momento em que passava um jovem cavalheiro por perto e foi atingido. O cavalheiro sem cavalo branco, se dirigiu a pé mesmo até a casa da jovem para entregar-lhe a imagem, se encantou com ela, amor correspondido e daí a algum tempo, o casamento, graças a Santo Antônio, em mais um milagre. Bom, gente, o espaço é curto, então curta e se encalhada, não perca a chance, é amanhã! ***___Rosane Michelis – jornalista, pesquisadora, bacharel em geografia e pós em turismo.

 




fonte: Rosane Michelis



anuncie aqui AREEIRA JBA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Flores multicoloridas a socialite cacerense Marília Fontes pela passagem de mais um aniversário. Que Deus lhe conceda muita saúde e muitos anos de vida. Receba nossa homenagem com votos de felicidades. Grande beijo!!! Também trocando de idade a querida Maria Freire Tavares que recebe o carinho dos filhos, netos, esposo e amigos. Que essa data seja festejada com saúde por muitos anos. Feliz Aniversário!!! Na foto com o marido Avelino. Comunicador Paulo Rocha da Radio Jornal de Cáceres, é parada obrigatória dos ouvintes que gostam de um bom papo e aquela musica selecionada, suavizando as manhãs de Cáceres, com recadinhos nos intervalos; Vale a pena ficar ligado!
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados